Advertisements

poema-003

NÃO ME EXIJA

Não me exija gargalhadas

porque escondo na voz

as dores das batalhas travadas.

Não me exijas verdades

quando transpiro o pó

das falsas estradas.

Não me exijas seivas

quando ficou seca

a árvoré da esperança.

Não me exija heroismo

que de há muito depus

as armas da batalha.

Não me exijas urgência

de PAZ quando os tempos

são de violência.

Retirei-me da luta

e apaguei na memória

o modo dos abismos.

Com a claridade no olhar

e a voz ainda pulsátil

porque guarda a identidade

com a LUZ DAS MANHÃS

Advertisements

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: