Advertisements

poema-06

Em  algum lugar onde nunca  estive.

Em algum lugar onde nunca estive, e felizmente aquém

de qualquer experiência, teus olhos guardam seu silêncio:

em teu gesto mais frágil há coisas que me envolve

ou que não posso tocar porque estão muito próximas

 

teu olhar mais leve facilmente me descerra

embora eu me tenha fechado como dedos,

e me entreabres sempre, pétala por pétala, como a

{ Primavera

(por toques habilidoso, misteriosamente) abre a primeira(rosa

ou se teu desejo é me fechar, eu e

minha vida nos fecharemos formosa e rapidamene

como quando o coração desta flor imagina

que a neve — CUIDADOSAMENTE—está caindo em todaa

{parte

 

nada do  que podemos perceber neste mundo se compara

ao poder de tua intensa fragilidade: cuja textura

me compromete com a cor de seus paises

e me entrega para sempre a morte cada vez que respiro

 

 

Advertisements

2 comentários sobre “poema-06

  1. Que lindo poemaa!, é tão bom de acompanhar, sabe? Pois a cada dia você melhora oque já é quase perfeito!, é nítida a sua prática e a tua desenvoltura ao escrever, como já disse você coloca sua alma quando está escrevendo!, estou aguardando ansioso o próximo! u com 13 anos um dia quero alcançar o seu patamar! Meus parabéns…
    Postei um poema agora pouco, pra mim séria uma honra se você lesse e desse sua opinião, pra mm ela é muito importante…https://tvweb2016.wordpress.com/2017/07/19/olhar-inocente-poesia/

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: