Advertisements

poema-o7

Quisera aprender a te esquecer, ou pelo menos pensar Que você não existe, mas a saudade insiste... E novamente eu penso em ti.
Eu penso em ti, contemplando a aurora, No fim de tarde, a toda hora eu penso em ti, Caminhando à margem do rio, sinto um profundo vazio, E sozinho em meu caminho, eu penso em ti.

      Saudades sem Fim

Em silêncio
Meus pensamentos te buscam
O tempo se congela
E canções alimentam a alma.
A saudade
Torna-se dona de mim.
As estrelas me enfeitiçam
Como o encanto de seu olhar.
Tento ser forte
Suportando a saudade
E segurando as lágrimas,
Mas é inútil
Pois a noite é amiga da saudade
E unidas elas me vencem
E me faz render-se.
A saudade me prende
E as lágrimas me desobedecem,
Nada me faz esquecer
Nem passa-tempos me distraem
Cada gesto,
Cada olhar,
Está você…
Minha alma parece estar unida a sua
Pois já busquei mil maneiras
De lidar com a saudade
Mas ela sempre me vence…
É mais forte que meus instintos
É maior que meus limites
É uma
Incompatível Saudade.

Advertisements
%d bloggers like this: